Coronavírus (COVID-19) e Pacientes Oncológicos

Compartilhar
Share on Facebook
Facebook
Email this to someone
email
Print this page
Print

Posicionamento da SBOC (Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica)

A pandemia relacionada ao coronavírus (COVID-19) vem causando grande preocupação no mundo em função da rápida disseminação da infecção e da gravidade observada,especialmente entre pessoas com saúde fragilizada pela idade avançada ou por outras comorbidades. Entre as condições que predispõe a uma possível maior gravidade da infecção está o câncer. Pacientes oncológicos têm, frequentemente, uma diminuição  da imunidade por conta da própria doença, por um estado debilitado de recuperação pós-cirúrgica ou, ainda, pelo efeito imunossupressor de
alguns tratamentos, como quimioterapia, cortisona, transfusões de sangue e radioterapia. Assim, quando um paciente imunossuprimido adquire a infecção pelo coronavírus, o risco de uma evolução mais agressiva da
doença é significativo e o de morte,maior, como já documentado.

Entre os pacientes com câncer, os de maior risco são aqueles:

-Com neoplasias hematológicas (como leucemias, linfomas e mieloma múltiplo);
-Que passaram por transplante de medula óssea;
-Em tratamento com quimioterapia.

Embora certamente nem todos que estão em tratamento contra um câncer sejam imunossuprimidos, é imperativo que se tomem precauções para evitar a infecção e, em ocorrendo, que estes pacientes sejam acompanhados de maneira imediata e muito próxima pela sua equipe médica.

Com base nas informações disponibilizadas pela Organização Mundial da Saúde(OMS),  pelo Ministério da Saúde e pela comunidade científica, a SBOC recomenda as seguintes medidas preventivas:

AOS PACIENTES COM CÂNCER

1- Não interromper seus tratamentos oncológicos;
2- Evitar contato físico, como cumprimentar com beijos e abraços;
3- Evitar contato com qualquer pessoa que tenha sintomas gripais e/ou que esteja em investigação para possível infecção pelo coronavírus;
4- Evitar contato com pessoas que estejam chegando do exterior, com ou sem sintomas gripais
5- Caso apresente um dos seguintes sintomas, contatar seu médico: febre, coriza, tosse seca, falta de ar.

NO HOSPITAL

1- Evitar contato físico direto, mesmo com o seu médico e a equipe de saúde;
Tome a mesma atitude com todas as pessoas que estiverem circulando pelo ambiente hospitalar.
2- Evitar ambientes fechados e principalmente aglomerações;
Permaneça somente o tempo necessário em ambiente hospitalar.
3- Pacientes que vão a um centro de tratamento oncológico devem ir acompanhados de apenas uma pessoa, e este
acompanhante não pode apresentar nenhum sintoma de gripe;
4- Visitas hospitalares devem se restringir àquelas estritamente necessárias.

A TODA A POPULAÇÃO

1- Manter  a higiene das mãos, lavando-as com sabonete por pelo menos 40-60 segundos ou higienizando-as com álcool em gel 70%por 20-30 segundos, diversas vezes ao dia;
2- Cobrir como antebraço o nariz e boca ao tossir ou espirrar;
3- Evitar ambientes fechados e principalmente aglomerações. Eventos com grande público estão sendo cancelados e
desencorajados em todo o mundo;
4- Só tem indicação de realizar o exame para o diagnóstico de COVID-19, neste momento, quem apresentar sintomas
específicos, tiver entrado em contato com caso suspeito ou confirmado e tiver histórico de viagem ao exterior nos últimos 14 dias;
5- Pessoas com qualquer sintoma suspeito de gripe e que tiveram contato com terceiros na mesma condição ou com diagnóstico confirmado de COVID-19 devem evitar, ao máximo, aproximar-se de pacientes com câncer;
6- A SBOC lembra que tratamentos paralelos,como uso indiscriminado de vitaminas C e D, e outras modalidades não
comprovadas, além de ineficazes, podem trazer risco severo à saúde.

Baixe aqui o pdf do informativo