Dia Mundial do Câncer aborda notícias falsas sobre a doença

Compartilhar
Share on Facebook
Facebook
Email this to someone
email
Print this page
Print

Profissionais alertam sobre os perigos das “fake news” em torno da cura

Um mal da era das redes sociais, as “fake news”,marcará o Dia Mundial do Câncer, celebrado dia 04 de fevereiro. O tema que permeará os debates, conforme divulgado pelo INCA (Instituto Nacional do Câncer), tem se tornado cada vez mais comum e causado problemas graves e até irreversíveis, principalmente, porque envolve informações falsas em torno da promessa de cura. Na web, o câncer ou algum método ou produto para tratar a doença estão entre os assuntos preferidos dos propagadores de notícias falsas.

Sejam sabonetes ou desodorantes que causam câncer, suco de limão milagroso e até a polêmica Fosfoetanolamina, apelidada de “pílula do câncer”, que teve a eficiência desmascarada, estão entre as notícias falsas mais disseminadas sobre o câncer.

Para a diretora técnica da Clínica Onkológica, Dra. Juliana Lorenzoni Althoff, o tema é de extrema importância, porque notícias falsas ou boatos, hoje em dia facilmente despejados e compartilhados pelas redes sociais e aplicativos de troca de mensagens, prejudica em grande escala o tratamento da doença. “O paciente com câncer enfrenta uma batalha diária e tudo que supostamente aponte para a cura vai impactá-lo, assim como os seus familiares. Nesta condição há o fator emocional em jogo e é difícil neste contexto, por mais racional que a pessoa seja, ponderar a veracidade dos supostos novos tratamentos.”, destaca.

O Dia Mundial do Câncer, celebrado dia 04 de fevereiro, é uma data de conscientização instituída pela União Internacional de Controle do Câncer, para reforçar sobre a necessidade de ampliar campanhas de diagnóstico precoce da doença e para que a população não negligencie os seus sintomas.

Com ocorrência de aproximadamente 600 mil novos casos no Brasil nos últimos dois anos, o câncer é a segunda causa de mortes no País, superado apenas por doenças cardiovasculares. Nos últimos 15 anos a incidência de óbitos aumentou em 15%, contudo, esta expansão, conforme dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), é um fenômeno global, atribuído ao envelhecimento da população, mudança nos estilos de vida, dietas pouco saudáveis, sedentarismo e poluição.

Tratamento

Os métodos mais eficazes no controle e cura do câncer são, de forma isolada ou combinada, a Cirurgia, a Radioterapia e a Quimioterapia. Quando é indicado algum tipo de quimioterapia ou imunoterapia, é o oncologista quem faz a escolha e prescrição da melhor combinação de medicamentos. “Existem muitos motivos para sermos otimistas com relação ao câncer. Na atualidade, o médico tem várias opções na luta contra os diferentes tumores. É sempre importante lembrar que quanto antes ele for diagnosticado, maior será a chance de cura”, salienta.

Dra. Juliana acrescenta que o importante é descobrir o câncer no início e tratá-lo adequadamente. Além disso, as novas técnicas de diagnósticos e as pesquisas das diversas áreas sobre o câncer possibilitaram grandes avanços. “Cerca de 50% dos casos são curados nos países desenvolvidos. Estima-se que no Brasil esse número seja menor devido ao diagnóstico tardio. É fundamental trabalhar na prevenção e diagnóstico precoce”, afirma a especialista, que deixa o apelo: “Verifiquem as fontes das notícias relacionadas ao câncer antes de compartilhá-las. As opções de tratamento atuais são frutos de décadas e décadas de pesquisa e avanços científicos. Notícias sem embasamento são desfavoresque brincam com a esperança de quem está passando por um momento difícil e que precisa de um tratamento adequado”.

 

Confira algumas das notícias FALSAS mais divulgadas sobre o câncer

– Suco de limão com bicarbonato de sódio cura o câncer

-Sabonete causa câncer

-Desodorante favorece o aparecimento do câncer de mama

-O Facebook ajuda crianças com câncer em cada curtida ou compartilhada

– Fosfoetanolamina cura o câncer

-Ficar perto ou cozinhar alimentos no micro-ondas dá câncer